Continua.

A planície era linda, os raios de sol refletiam nas gotas de orvalho aqui e ali, seria perfeito, se não fosse pelos escudos e espadas espalhados a perder de vista. O jovem soldado via sua cidade ameaçada pela primeira vez, ele sabia que guerra chegaria um dia, mas olhar para ela era diferente de qualquer historia, um ódio invadiu sua alma e já estava transbordando pelos olhos.
O capitão percebeu que o jovem estava bebendo do liquido escuro e espesso do ódio, ele já viu este olhar, se aproximou do soldado, e disse.
- Não pense nos homens que vai matar, pense nas vidas que vai salvar a guerra nunca vai acabar, conquistar, expandir e escrever seu nome na historia é o que todo homem quer. 
O soldado, ao perceber que seu capitão estava ao seu lado, não se mexeu, continuou a olhar fixamente para todos e para ninguém.
- Talvez esta seja minha penúltima guerra se eu morrer aqui, se sobreviver, a paz será sempre uma sombra nossas almas – continuou o capitão.
Aquelas palavras causaram certo medo no jovem, naturalmente, e uma confusão em sua mente, - Ora, como pode ser a penúltima guerra se ele morrer? – pensou.
- Lute pelo reino, dizem, pelo rei, pela cidade, pelos seus filhos, certamente este ultimo não é seu caso, lute pela liberdade, todos os motivos fieis e justos! Mas, com certeza, aqueles homens parados na planície ouviram a mesma coisa, todos os reinos vão cair soldado, podemos apenas retardar isto.
Antes de o jovem poder concordar com o capitão, ele levantou a mão direita e gritou.
- Homens! A hora chegou! Preparem-se! 
Um choque percorreu todo o corpo daquele jovem, estava na hora.
Foi quando o capitão tocou no ombro dele e disse.
- Não odeie seu inimigo, ame a sua terra, levante sua espada, prepare seu escudo, vamos vencer esta guerra!

publicado por mariofernando às 18:45